Bom, antes de ler esse post, recomendo que leia este aqui: Análise de Percy Jackson e o Ladrão de Raios.

Vou começar dizendo que gostei do filme, pedras por favor, por 2 motivos, (a) É uma boa aventura, (b) Quando vi, não tinha lido os livros.

Percy Jackson é uma obra que vem fazendo bastante sucesso no meio do público infanto juvenil, mas isso não dá ao direito de Chris Columbus de fazer o que ele quiser e esperar que todos adorem o filme, assim como adoram a série de livros.

Poster Brasileiros - Percy Jackson e o Ladão de Raios


O filme traz um roteiro bem clichê, uma trama fraca, e muitas pontas soltas. Podemos dar créditos ao bons atores “juvenis”, Percy que é interpretado por Logan Lerman, que você deve ter visto como o garoto de Efeito Borboleta e que não é tão juvenil assim, pois já tem 18 anos, e não 16 como sugere o filme e muito menos 12, que seria a idade do livro.

Temos Alexandra Daddario, que além de um par de… olhos maravilhosos, já é uma atriz experiente, onde fez várias papéis em séries, e que também não é tão “juvenil” pois, pasmem, ela tem 24 anos.

E Brandon T. Jackson, que é o alívio cômico, cheio de piadas o tempo todo com as situações e os inimigos, e acreditem, ele tem 26 anos de idade.

Percy Jackson e Amigos

Outros atores que completam a lista são: Jake Abel (Luke), Sean Bean(Zeus), Pierce Brosnan (Sr.. Brunner / Quíron) , Kevin McKidd (Poseidon) e Uma Thurman (Medusa).

Além de bons atores, a trilha sonora é um ponto forte do filme, destaque para a parte do Cassino que tem desde Elvis Presley até Lady Gaga.

O grande problema mesmo da versão dos cinemas do filho de Poseidon, são as falhas de roteiro, trama fraca e excesso de alterações, aliás, Columbus modificou tanto o filme de acordo com a obra de Riordan, que agregou vários acontecimentos e características de vários personagens, em um único apenas.

A mudança é tanta, que enquanto via o filme enxergava situações do 1º,  2º, 3º e as vezes até 4º livro. Sério,  não sei como, se é que há uma intenção dos produtores ou do próprio Columbus, de fazer uma continuação do filme. Mas uma coisa fica muito clara, é que Cris Columbus conhece a história de Perseu, pois ele tentou (sim, disse tentou) traçar um paralelo com o mito.

O filme diverte… mas em questão de fidelidade, não só com o livro, mas com a mitologia, é triste, algumas coisas fariam Homero se remexer no túmulo.

Há piadas boas, porém a versão dublada supera a original. Muitas delas são feitas por Grover que é dublado com maetria por Wendel Bezerra(nosso querido Goku). Já nosso amigo Percy Jackson é feio por Fábio Lucindo, eterno Ash fracassado(tachado) da cidade de Pallet ou Shinji de Evangelion.

Agora vamos às coisas que realmente me revoltaram:

1º As motivações: É isso mesmo. Para tudo nessa nossa vida precisamos de uma motivação, certo? SIM professor Tiburcio(essa é velha), mas em um filme as coisas não funcionam assim.

Imagina que tem um cara dizendo que vai para o Inferno, querendo bater de frente com Hades, tomando por verdade que ele existe realmente, e tem um que fala que vai junto porque ” CANSOU DA MONOTONIA DO ACAMPAMENTO”!? Puta merda, Puta merda².

Inventaram que Grover, o único Sátiro que aparece no filme, é um “protetor”?! Tá, vamos revisar o seguinte: um Semi-deus, que são as únicas peças em um guerra entre Deuses que podem feri-los, precisam de proteção de um Sátiro? Não quero desrespeitar os sátiros, mas acho que eles concordariam comigo

No livro existem profecias feitas pelo Oráculo de Delfos, e todos que entram no acampamento, ou que vão para uma missão, são obrigados a escutar o que ele tem a dizer, geralmente a profecia se conclui no fim do livro, as vezes no meio, mas você descobre mesmo, só no final.

Ou seja, Anabeth tem uma motivação, tanto de seguir Percy Jackson na missão, quanto por estar no acampamento, Grover tem uma motivação, Percy tem a sua, que é a única no filme, Quíron também tem, até Luke tem as suas, todos tem, 1 frase era o suficiente para dar motivação maior para cada um deles, mas isso não acontece, é o maior #fail do filme, aliás é o maior #fail para qualquer filme.

2º Omissões: De personagens e de situações. As coisas poderiam ser bem mais divertidas se víssemos Ares (deus da guerra), e Clarrisse sua filha e rival de Percy, o que daria muito sentido para várias situações no acampamento.

No livro eles se ferram inteiros para conseguir atravessa meio país para chegar na entrada da morada de Hades, o que faz bastante sentido para crianças de 12 anos sem dinheiro algum nos bolsos, no filme eles vão “dirigindo”!?

Vou listar mais algumas cagadas:

– Os personagens parecem ter entre 16 e 20 anos, princialmente Anabeth, quando no original eles tem 12.

– Há um affair entre Anabeth e Percy que não existe nos livros.

– Muitas das coisas que Luke faz no livro, ou Clarisse, quem faz é Anabeth no filme.

– Perséfone não poderia, jamais, estar no inferno no solstício de verão.

– Há uma trama maior, por traz de tudo,  que não foi revelada, o que não faria sentido uma continuação do filme.

E é isso, em resumo, se você já leu o livro, dificilmente vai gostar do filme, se não leu ainda, é uma porta para você começar a se interessar, mas no fim das contas é aquele filme “pipocão”.

E para finalizar uma matérias que saiu na Veja São Paulo enumerou algumas diferenças entre as versões impressa e a do cinema:

Abaixo você pode encontrar uma lista com 10 diferenças:

1. No filme, há uma lei criada por Zeus que proíbe os deuses de conversarem com seus filhos heróis. No livro isso não existe;

2. Grover é descolado, falante e não tem chifres por ser um sátiro júnior. Na obra de Riordan não há essa classificação e Grover é tímido, tem chifres pequenos e usa um gorro para escondê-los;

3. Percy consegue um pedaço do chifre do Minotauro após pular em suas costas e quebrá-lo com a força das mãos. No filme, o monstro calcula mal a investida, bate a cabeça em uma árvore e o pedaço fica na madeira. Percy usa isso para atacá-lo;

4. Um portal protege a Colina Meio-Sangue, enquanto no livro essa função é desempenhada por um pinheiro mágico (A árvore é a filha de Zeus chamada Thalia que deu a vida para salvar os amigos);

5. Percy, Annabeth e Grover fogem do Acampamento para buscar o raio-mestre de Zeus e impedir a guerra. No livro eles recebem essa missão de Quíron;

6. Na captura da bandeira Percy luta com Annabeth. Na obra de Riordan eles jogam no mesmo time e a luta se dá contra Clarisse, a filha de Ares;

7. O primeiro monstro enfrentado por Percy é uma Benevolente. No filme ela é espantada pelas ameaças do professor de latim Brunner (disfarce de Quíron). Já no livro, ele a ataca com a caneta/espada que seu professor lhe joga;

8. Apesar deste fato não ser mencionado nas telonas, Percy visita o Oráculo antes de sua missão e recebe informações importantes;

9. Luke, filho de Hermes, dá um par de tênis alados a Percy. No filme eles são usados pelo herói, enquanto no livro são utilizados por Grover;

10. Nos cinemas o raio-mestre de Zeus chega ao mundo inferior escondido em um escudo (presente de Luke) e no livro, ele chega a Hades em uma mochila (presente do deus Ares);

[nggallery id=5]


[+INFO]

Diretor: Chris Columbus
Roteiristas: Craig Titley
Baseado na obra de: Rick Riordan
Para mais informações: IMDB | Percy Jackson